Hoje vamos a mais uma etapa: muitas mulheres carregam em si as marcas do abuso projetadas nessa reação emocional, com consequências físicas.

Você passa a se rejeitar de tal forma que não encontra forças ou propósito para se arrumar e se cuidar fisicamente.

Lembra-se do espelho? Ele definitivamente é o seu inimigo, porque vai refletir a imagem de alguém que você não quer ser: uma mulher desarrumada, com roupas largas, descombinadas, cabelos maltratados, pele ressecada e um semblante caído e sofrido.

Você não mais se valoriza, não se aprecia e através de sua aparência tenta mostrar para o mundo que desistiu da vida.

Automaticamente, os que estão à sua volta passam a vê-la da mesma forma: não porque de fato não tenha beleza ou valor, mas porque você mesma tem se desmerecido.

Quando está perto de outras mulheres (que muitas vezes nem bonitas são, mas se cuidam), você se sente ainda mais inferior, não atinando que isso tem sido uma opção sua.

Não significa que as outras sejam mais bonitas que você, mas sim que você se preocupa muito menos em ser tão bonita quanto  elas.

Isso sem falar na falta de cuidados para com a sua saúde: ou se entrega aos prazeres de alimentos calóricos, come desregradamente, acumulando um peso excessivo ou se autodestrói com uma alimentação fraca e se torna anêmica.

Seja qual for a variante, a verdade é uma só: você tem imposto a si própria esse tipo de comportamento e refletindo assim o que está dentro de você: uma entrega passiva ao sofrimento.

Ora, a sua mente está enclausurada e é o momento de confrontar a realidade: você não precisa andar desarrumada, ter uma vida desregrada e mostrar para o mundo que foi abusada e que ainda sofre por isso.

Nesse momento você pode retomar as rédeas de sua vida, passar a se amar e se valorizar, investir na sua aparência, cuidar da sua saúde e se recriar para esse mundo.

O seu agressor não merece que você passe uma vida inteira sofrendo os efeitos colaterais do abuso.

Confronte a realidade: você não está feliz assim, você não vive em paz com a sua aparência, você não se sente realizada na sociedade, então por que continuar dessa forma se em você mesma está o poder para mudar?

O primeiro passo é admitir que a sua aparência atual foi uma opção sua, mas que agora decide fazer uma nova resolução de vida e se cuidar. O segundo passo é começar essa mudança agora: olhe-se no espelho. O que falta? Um corte moderno de cabelo, arrumar as sobrancelhas, uma sombra, um batom, roupas passadas? Mude algo em você neste minuto e continue durante toda esta semana.

Lembre-se da beleza das aves e dos lírios: “Não tendes vós muito mais valor do que elas?” (Mateus 6:26)

Até a próxima.

Anúncios

Raabes Convidadas pelo IFEROM

No Tribunal de Justiça do Espírito Santo, o Projeto Raabe foi muito valorizado. Foram recebidas com muito carinho. O IFEROM(Primeiro Fórum Estadual de Proteção aos Direitos da Mulher) deu todo suporte necessário para incentivar ainda mais as voluntárias.

Com a presença de Juízes e o desembargador presidente Pedro Valls Féu Rosa e demais profissionais da área, uma banda militar entoou os hinos Nacional e Estadual.O Projeto vem unindo forças com o Tribunal de Justiça em busca de auxílio para poder melhor servir às mulheres capixabas. Na oportunidade, a cantora Valeria Rodrigues, do grupo Raabe, da Line Record, cantou uma música de autoria da Juiza Hermina Azoury ,“MULHERES”. Participou também uma sobrevivente do Projeto onde relatou sua história de superação.

O crescimento é visível e, na iniciativa do Godllywood, o projeto vai avançando. Também o Estado do Espírito Santo se prepara para a segunda caminhada do Dia Internacional Contra a Violência Doméstica.

No Estado de Pernambuco está Raabe

Deu-se Início ao Projeto Raabe no Estado de Pernambuco. Um coquetel de apresentação no Hotel Dorisol onde estiveram reunidos vários profissionais da área como a juíza Dra Marta Cantalício, o Dr Wilson Damazio (Secretario de Defesa Social do Estado), Coronel Jose Lopes assessor do Governor e Lenise Valentin Gestora do departamento de proteção à Mulher do Governo, Dra Judite Cortijo Delegada da mulher de Jaboatão dos Guararapes que se colocaram à disposição e  prestaram seu apoio ao projeto no estado.

Na oportunidade foram apresentadas aos convidados, estatísticas oficiais da Violência contra Mulher, e principalmente, dos terríveis dados do estado, onde ocupa o terceiro lugar em homicídios em todo o Brasil.

Também foi salientado que a meta do grupo será ouvir, prestar atendimento, apoiar, e principalmente elevar a autoestima das mulheres que vivem essa realidade de maus tratos, angustia, e são oprimidas pelo preconceito social.

Aurelina Santana estará à frente da coordenação de todas as atividades que a partir de agora acontecerão no estado. Inclusive reuniões já estão acontecendo com a finalidade de organizar, monitorar e planejar o trabalho.

Com certeza muitos obstáculos serão vencidos e metas alcançadas e o grupo vai trabalhar para  romper o silencio de tanto sofrimento e dor.

Projeto Raabe Comemora seu Lançamento em Brasília

Com grande prestígio, o Projeto Raabe foi recebido pelas brasilienses que estiveram presentes no lançamento que aconteceu recentemente no DF.

O Projeto faz parte do grupo Godllywood e conta com o apoio de voluntárias que se propõem a lutar em favor das mulheres que sofrem, ou já sofreram, maus tratos e abusos de seus parceiros ou familiares.

Algumas autoridades estiveram presentes, como a Dra. Ana Cristina Melo representante da Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), de Brasília, e revelou a importância do Projeto Raabe: “A relevância desse projeto é fazer com que chegue ao conhecimento das mulheres, vítimas de violência, que existem lugares com os quais elas  podem contar como: Delegacia da Mulher, Casa Abrigo, Secretaria da mulher e outros órgãos. É importante despertá-las que a denúncia é essencial”.

Já o Deputado Distrital do PRB, Evandro Garla, destacou que através deste Projeto haverá uma grande conscientização entre as mulheres que são vítimas de violência doméstica, pois as mesmas terão coragem de denunciar os agressores.

Outras autoridades também apoiaram o evento e participaram do mesmo, como a Major Cristiane Simões do Conselho dos Direitos da Mulher, o Secretário dos Esportes em exercício Julio Ribeiro, a cantora Gospel Leonor e, aproximadamente, 60 voluntárias que se dispuseram em contribuir para esse movimento social.

Leny Garla, responsável pelo Projeto Raabe no DF, aproveitou para ilustrar a apresentação com um vídeo sobre a violência doméstica e ressaltou que Brasília cresce no número de denúncias, e que a violência no DF é uma das mais altas de todo o país. “Pretendemos unir nossas forças e romper o silêncio contra os casos de violência doméstica na capital”, completou.

Na oportunidade, Núbia Siqueira, responsável pelo Godllywood no DF, contou um pouco da história bíblica da personagem Raabe, da qual surgiu a ideia da criação do projeto. E finalizou com uma frase de impacto: “Quantas mulheres já morreram e nós não fizemos nada? Ainda existem milhares sofrendo e precisamos dar oportunidade para elas mudarem de vida”, ressaltou.

Para abrilhantar e encerrar o evento Leonor cantou algumas de suas músicas.

O lançamento foi um sucesso!

Raabe e Você/ Capítulo 10

 Tentativa

Eu tentei Cheguei à minha adolescência e enfim arrumei um namorado. Como não tinha vencido ainda o fantasma do abuso na infância e nem lidado com as consequências do mesmo, entrei num relacionamento abusivo. Isso acontece com você? Então fique ligada, pois  é uma das consequências: você sempre termina num ciclo de abuso.

Bom, mas voltando à minha história. Um dia tive que resolver uma disputa familiar e na hora da raiva, num momento de briga, joguei a verdade: contei sobre o abuso e quem era o agressor. Pensava que assim iria conseguir alguma simpatia, ou pelo menos trazer um arrependimento à minha mãe por ter me deixado lá naquela casa, mas não funcionou assim.

Outra decepção: minha própria mãe não acreditou, e eu, em vez de vencer o meu passado, fiquei sem chão. Agora tinha que lidar com duas grandes bofetadas: o abuso e a rejeição.

Estou falando abertamente da minha experiência com você porque nem sempre o confronto tem um resultado positivo e você tem que estar preparada para isso. Já ouvi amigas Raabes contarem suas experiências de terem ouvido: “a culpa foi sua”; “você se insinuou para ele”; “além de vulgar e oferecida é mentirosa”; “você quer destruir a minha família”.

Palavras duras de serem ouvidas, ainda mais quando a vítima é inocente. É por isso que procuro, a cada artigo, fazer de você uma sobrevivente e não vítima. A vítima se afunda cada vez mais em sua dor quando experimenta rejeição, julgamentos ou palavras duras. Vou ser sincera: isso acontece. Mas a sobrevivente olha para essas situações e se torna mais forte. Eu quero que você se torne forte e não dependa da simpatia dos outros, basta a sua própria apreciação.

Anos depois, fiz minha segunda tentativa: comecei a falar sobre o assunto e ajudar outras mulheres.

Logo nas primeiras oportunidades, vi que não era mais a vítima, mas a sobrevivente em mim. Tinha vencido essa guerra, virado essa página e agora ajudava outras mulheres a escreverem uma nova história em suas vidas. Porém, teve uma outra atitude que tive que tomar para chegar ao ponto de ajudar – faz parte do desfecho – e você terá de ler o próximo artigo para entender.Um abraço!

Eu Raabe estou a sua disposição, envie a sua história e vamos ajudá-la.

RAABES COM DESEMBARGADOR DA JUSTIÇA

O tribunal de justiça foi instalado em 3 de fevereiro de 1874. As primeiras instalações se deram em casarões situados no centro da capital paulista.

Em 1911, por conta do crescimento demográfico de São Paulo e da consequente expansão do Judiciário Paulista, se fez necessária a construção de uma sede para abrigar a Corte. Para tanto, foi contratado o escritório do renomeado arquiteto Ramos Azevedo, inspirado no Palácio da Justiça de Roma, criou o projeto do Palácio da Justiça TJ paulista.

Hoje o prédio tornou-se orgulho para o Judiciário paulista. É composto por 360 desembargadores e nos órgão de cúpula está o presidente, o vice-presidente, o corregedor-geral da justiça, o decano e os presidentes das seções de Direto Criminal, Direito Publico e Direito Privado. Eles integram o Conselho Superior da Magistratura. Também, há o Órgão Especial, composto por 25 desembargadores: o presidente, 12 mais antigos e 12 eleitos.

Eleito em 7 de dezembro de 2012 é empossado Ivan Ricardo Garísio Sartori, de 55 anos, afirmou que criará uma comissão de magistrados que tenham perfil administrativo para modernizar o TJ.

Gentilmente ele recebe em seu gabinete as voluntárias do Projeto Raabe, uma visita programada pela Assembleia Legislativa anunciada pelo Deputado Estadual Gilmaci.

Na sala de recepção vem ao nosso encontro o poeta Paulo Lébeis Bomfim, conhecido como O Proncipe dos Poestas Brasileiros, membro da Academia Paulista de Letras. Aos 86 anos, em plena forma nos da uma aula de historia sobre o Tribunal de Justiça e até declama um poema puxando em memoria alguns trexos. Nos leva ao centro cultural e lá está sua historia em tempos de lindas memorias em vida.

Em seguida no salão principal, Ivan Sartori, junto à desembargadora Angélica de Maria Mello de Almeida da Comesp (coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar) esteve presente onde o projeto Raabe foi apresentado e a primeira pergunta: Que sigla é Raabe? Neia Dutra conta um pouco da historia biblica e em a seguida Carlinda Cis conversa com o desembargador que sorridente nos incentiva a seguir em frente e colocá-se disposição a Angelica para todo tipo de apoio.

Finalizando o deputado Gilmaci entrega o livro “Nada a Perder” do Bispo Edir Macedo e com uma frase o desembargador diz: Ele é um Vitorioso.