Projeto Chega em Campo Grande/MS

 

Rompe-se o silêncio na cidade de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul e começa o Projeto Raabe.

Cíntia Ferraz e sua equipe recebem mulheres que sofrem violência domestica e apresenta essa novidade como forma de ajuda e orientação, buscando resgatar a dignidade e levar aos lares uma esperança de mudança.

Dia 22 de Julho à tarde as Raabes participaram com um chá, marcando a abertura de mais uma porta para cuidar das mulheres que sofrem violência domestica. Por medo e vergonha elas se fecham, muitas entram em depressão, esquece-se de si mesmas e passam a viver guardadas em seu próprio silêncio. O Projeto Raabe empresta os ouvidos, oferece palestras onde são tratados os temas por profissionais e uma palavra de fé é dirigida para alimentá-las espiritualmente.

Na oportunidade, a tenente Natali Rocha realizou uma palestra, orientando as mulheres sobre a violência doméstica e os direitos assegurados pela lei Maria da Penha.

Cerca de 100 mulheres participaram e entre elas havia uma “sobrevivente”, a Sra. Divina. Ela foi vítima de violência doméstica por 45 anos e relatou que sofreu todo esse tempo porque não teve coragem de denunciar seu marido. Após a morte do agressor, Sra. Divina conheceu seu atual esposo, Sr. Silvio, um homem que a ama e, principalmente, a respeita.

Houve um momento de descontração com um sorteio de brindes e a distribuição do livro A mulher V. Ao fim do encontro, foi servido um delicioso chá da tarde para as convidadas.

Tudo tem contribuído a preencher o vazio, e quando gritos vazios não solucionam, entra na vida dessas mulheres o Projeto Raabe, com uma nova forma de romper o silêncio e acabar com as agressões. 

Anúncios

Raabe e Você/Capítulo 4

O Espelho

E então, você conseguiu ver sua beleza?

Esse foi um exercício muito difícil para mim, pois não me achava bonita e isso me trazia uma apatia por me arrumar. Usava peças bem básicas, cores neutras. Para mim, não havia roupa que pudesse me ajudar. De mais a mais, para que me arrumar, chamar a atenção das pessoas para minha aparência? Para ser abusada por outros?

Admirava mulheres elegantes, cores vibrantes, mas aquilo não era para mim. Tinha que buscar valor de outra forma. Então me entregava completamente aos estudos. Era a primeira da classe. Ninguém podia imaginar o que eu passava, pois camuflava fazendo mais, fazendo o melhor.

O espelho era meu inimigo, como tem sido para você; mas buscar a perfeição no que fazia isso sim me consolava. Tinha uma necessidade de me exceder em tudo, provar que podia que não havia nada difícil que não aprendesse ou fizesse. Apesar dos elogios e das medalhas, ainda me sentia sem valor.

Era fechada e esperava muito pouco das pessoas para evitar decepção; achava que se merecesse um bom dia, já era muito. Eu tinha que me superar em tudo para me qualificar diante das minhas colegas. Se eu fosse a competente, despertaria algum interesse das demais e pelo menos me respeitariam.

Enquanto isso, em casa, sofria; e o medo de falar algo e desapontar meus familiares me consumia. Era filha de mãe solteira e achava que viva ali pela misericórdia deles. Tinha que manter a aparência, tinha que sufocar a minha dor.

Conte Comigo,

Meu contato: raabevoce@yahoo.com

Resgate no Largo da Concórdia

Uma manhã brilhante, no dia 14 de Julho, e cheia de luz, os grupos Raabe e Ester saem a convidar mulheres que sofreram ou sofrem violência doméstica.

O largo é um lugar de muito movimento, um comércio bem extenso e muitas pessoas param para descansar e apreciar o evento no Largo da Concórdia.

Todas com rosas nas mãos e a lei Maria da Penha, onde a curiosidade começou desde que saíram da Av. Celso Garcia. Aproveitando a caminhada, foram observando os olhares e logo chegando começaram a conversar e apresentar o projeto Raabe.

A expectativa era grande e não foi diferente, pois muitas se identificaram que estão sofrendo vários tipos de agressão. Uma não conteve as lágrimas e chegou a desabafar e até dizer: “Precisava que alguém me ouvisse”.

Cada 5 minutos, já está comprovado pela mídia, mulheres sofrem violência dentro de casa e uma observação feita pela d. Lilian do grupo Ester: Em quase uma hora eu conversei com cinco mulheres e todas estão passando essa dificuldade.

O projeto vai avançando, pois sair nas ruas e praças, uma vez ao mês, já se tornou um evento para o grupo; com seriedade todas têm cuidado das convidadas que chegam por primeira vez e acolhido tanto no lado psicológico quanto emocional.

Raabe e Você/Capítulo 3

Eu Admiro…

Espero que você não tenha desanimado de ler as nossas postagens por pensar que não estou em sintonia com a realidade ao falar que você é linda.

Você deve ter pensado: “ela não me conhece, por isso fala assim”. Você esta certa; eu não lhe conheço ainda, mas me conheço e a outras tantas amigas que passaram pela mesma situação. E vi em cada uma delas uma beleza indescritível. Contudo, de nada adianta eu ver sua beleza, mas você não enxergar ou aceitá-la.

Esta semana quero lhe ajudar a descobrir a sua beleza. Eu quero que você pense em três partes do seu corpo que você aprecia. Não olhe o conjunto, procure somente três, isoladamente: talvez os seus olhos, talvez as suas mãos, seu cabelo, sua voz, unhas perfeitas. Comece a contemplar essas três partes.

Eu vou lhe dizer uma parte que mais me chama atenção em você: sua inteligência. Apesar de tudo o que aconteceu, das consequência, das marcas, da dor, a sua inteligência não se rendeu.

Você tem discernimento do que é bom e ruim, bonito e feio, agradável e desagradável. E através da sua inteligência, você vai aprender a reconhecer a sua beleza e o seu potencial – é o motivo de eu admirar isso em você e em todas aquelas que um dia sofreram abuso.

Podem lhe roubar a dignidade, a autoconfiança, o valor que se dá à vida, os sonhos, o futuro mas não podem lhe roubar a inteligência. E através dela você sabe que existe o amanhã; através da sua inteligência você poderá construir uma vida melhor; através da sua inteligência você vai ter coragem para desafiar o impossível. Através da sua inteligência, você vai aprender a se amar e se valorizar.

E é justamente isso que eu quero que você pratique esta semana.  Viu que sempre existe algo bom em cada uma de nós? Ah, não esqueci das três partes do seu corpo… divida comigo o que você selecionou.

Contato: raabevoce@yahoo.com

Projeto Raabe/Goiás em Ação

 

            Todos os meses nós realizamos eventos para aproximar mulheres que, por algum motivo, foram excluídas da sociedade e precisam de ajuda para continuar na caminhada da vida, deixando para trás marcas da violência.

            Em Junho foi realizado um evento em um bairro aqui na capital de Goiás. A expectativa era de encontrar muitas mulheres que precisassem de ajuda, e o resultado não foi diferente do que esperávamos.

            No começo elas se intimidam em falar sobre o assunto: a violência doméstica.  Com delicadeza, porém ousadas, olhamos nos olhos delas e mostramos que estamos ali para ajudá-las, e que não somos mais um a fazer um interrogatório sobre o seu passado; mostramos que somos diferentes e que podem confiar em nós.

            Teve um caso em que duas mulheres amigas procuraram o projeto, e diziam que era para uma vizinha delas, a qual sofria muito com as agressões do marido, porém não sabia como agir. Nós as orientamos quanto à violência, mas quando falei de um Deus que faz tudo novo e que apaga o passado, escrevendo uma nova história, foi inevitável que uma delas não começasse a chorar. As lágrimas escorreram no rosto dela, revelando quanto sofrimento e mágoa estavam ali, camuflados atrás de um pedido de ajuda para uma vizinha, um pedido de socorro.

            Queremos ajudar essas mulheres a romperem o silêncio, diz Andréa (Responsável do Projeto Raabe em Goiás) e para isso estamos indo ao encontro delas, concedendo sabedoria e revelando perfeita vontade de Deus para esse projeto. Primeiramente, antes de qualquer decisão, ensinamos a justiça de Deus, esclarecendo os seus direitos, mas também buscando meios da lei de proteção no caso a agressão.

Sexta-feira, 22 de junho de 2012

Parlamentar recebe grupo do Projeto Raabe

 

Na manhã da última terça-feira, 19/6, Gilmaci Santos, líder do PRB na Assembleia Legislativa de São Paulo, recebeu em seu gabinete representantes do projeto Raabe, criado por mulheres que querem abraçar a causa de outras mulheres que tem sofrido agressão física, moral, psicológica, sexual, patrimonial, recebido ameaças, sentido medo e que precisam de orientação.
O parlamentar parabenizou o trabalho do grupo e se colocou à disposição de todas. “Muitas mulheres tem sofrido caladas e para estas é fundamental encontrar em outra pessoa um ombro amigo”, disse o parlamentar que também se lembrou de dados do Anuário das Mulheres Brasileiras 2011, onde consta que o ambiente doméstico é cerca de três vezes mais perigoso para as mulheres do que para os homens.
A compilação mostrou que quatro em cada dez mulheres brasileiras já foram vítimas de violência doméstica. No mês passado, o projeto Raabe visitou a Casa Eliana Grammont, um centro de referência que atende vítimas de violência de vários segmentos. O deputado também destacou que a mulher não pode se calar. “É fundamental que ao se sentir ameaçada, a mulher recorra à Central de Atendimento à Mulher, ligando para o número 180, serviço que atende queixas de violência doméstica contra a mulher”, disse.