Raabe e Você/Capítulo 2

 Você é linda!

Semana passada eu contei um pouco do que aconteceu comigo quando tinha 13 anos de idade. Apesar de ser jovem, e dos profissionais da área dizerem que a recuperação de uma criança émuito mais rápida do que a de uma vitima em idade adulta, as marcas deixadas foram difíceis de esquecer.

Há os que dizem que essas marcas nunca saem, porém eu posso dizer que você encontrará forças para superá-las.  Eu encontrei! Mas vamos caminhando passo a passo nessa jornada;  não quero lhe fazer entender em uma semana o que me levou anos. Hoje queria falar sobre a primeira sensação que você tem, e talvez a mais duradoura: você se sente suja.

Parece um pouco rude, mas é exatamente isso. Não há banho ¾ ou lágrimas ¾ que tirem o nojo que você sente de si própria e a autor rejeição enorme que começa a crescer a partir daí.

Emocionalmente, você se sente humilhada e rebaixada –  é como se tivesse perdido o valor. Vale a pena continuar vivendo assim? Costumo dizer que há uma marca no calendário; a partir daquele dia você não viveu mais,  tem sido carregada pela vida. Você se sente feia, inadequada, frustrada e se proíbe de sonhar.

Quando tem coragem de se olhar no espelho, despreza o que vê. Aí começa o processo de autodestruição. Mas pare para pensar comigo: você é a mesma pessoa de antes do abuso. Não estou me referindo ao exterior, às marcas que você carrega, mas ao que está dentro de você.

Eu, hoje Raabe, sou a mesma menina que eu era antes de tudo ter acontecido. Eu tenho a mesmaalegria, carinho e beleza que tinha antes, porque o que aconteceu não foi escolha minha.

Ninguém escolhe ser molestado e brutalizado. Ora, então pare de se ver feia e desprezível: lá no fundo você é a mesma pessoa maravilhosa, cheia de vida, planos e sonhos que um dia teve. As circunstâncias lhe fizeram mudar, se fechar, se autodestruir, porém eu quero que esta semana você venha resgatar aquela criaturinha linda que vive dentro de você.

Permita-se pensar só por um pouquinho na menina/moça/mulher maravilhosa que vivia dentro de você. Ela ainda esta aí!

Estou a sua disposição.

Meu Contato: raabevoce@yahoo.com

Anúncios

Raabe e Você

QUEM SOU EU?

Não é fácil falar sobre abuso, ainda mais quando você foi vítima dele. A vontade é de passar uma borracha e apagar aqueles anos de sua vida. Por mais que você lute para esquecer, muitas vezes uma simples palavra, voz ou ate um odor trazem à sua mente, vividamente, o que se passou anos atrás.

Justamente porque passei por isso e muitas vezes achei que não fosse vencer esse monstro que ia e voltava em minha mente, é que hoje tenho como projeto de vida ajudar outras jovens e mulheres que passaram ou passam pelo mesmo que um dia vivi. Vou começar dividindo um pouquinho da minha história e a cada semana queria falar com você sobre as varias marcas que um abuso pode deixar em sua vida.

Já sei, você deve estar pensando que é preciso muita coragem para falar sobre isso, não é? Você está certa! Não é fácil para ninguém falar de experiências que machucaram, mas aprendi a fazer dessas experiências uma arma poderosa para ajudar você. Então, para mim se tornou fácil: as minhas experiências e de outras amigas que deram a volta por cima, vão ser um balsamo para você.

Vamos fazer um teste?

Nos encontraremos aqui todas as semanas.

Ah, esqueci de me apresentar: meu nome é Raabe. Fui molestada aos 13 anos de idade, e não somente uma vez. Como é comum, a pessoa que me fez isso era muito chegada à minha família. Estou à procura de outras Raabes que neste momento estão sufocadas pela dor, pela vergonha e pelos maus pensamentos. Se você é uma Raabe, então começamos aqui nossa jornada em busca de vencer o seu passado.

Meu Contato: raabevoce@yahoo.com.br

Meninas do Carandiru Recebem Visita da Cantora Sula Miranda

Mês passado foi motivo de alegria como todos os encontros mensais, onde o Projeto Raabe visita as meninas do Presídio Carandiru.

A convite do projeto a Cantora Sula Miranda, além de soltar a voz, contou um pouco da sua vida e como é importante estar na presença de Deus. Elas ficaram maravilhadas, muitas a conheciam pela mídia. Deixou uma palavra de esperança, buscou ouvi-las, abraçou-as e ali aproveitaram o momento onde, certamente, deixou uma boa lembrança.

Carlinda, acompanhada com o grupo de evangelização do Brás e as meninas do Grupo Ester, distribuiu o Livro do Perdão e kits de higiene. Tudo é necessário e usado, elas ficam agradecidas e buscam atentamente ouvir a palavra de Deus.

A cada encontro um relato, vivendo e aguardando um dia melhor, a vontade de logo esquecer uma escolha errada e seguir a vida de uma forma diferente.

Para participar desses encontros, elas têm que deixar, na semana, seus nomes para serem liberadas no sábado.  Passamos pelos pavilhões e vamos resgatando centenas de mulheres que ali estão. Desde jovens a senhoras; variadas nacionalidades, mas na fé todas se familiarizam com o nosso idioma.

Tudo é possível ao que crê e, assim, esses grupos que vão ao encontro das internas, no presídio, acreditam e deixam uma palavra de esperança, pois para mudar basta buscar o bom caminho e permitir um novo começo e uma nova história sem atitudes errôneas.

O Projeto se estende às famílias. As meninas Raabes e Ester sempre deixam um sinal de alerta quando há algum comentário de violência doméstica.

 

Projeto Leva Esperança

Logo ao chegar à sala cheia observamos olhos distraídos, mãos na boca, situações que vivem no cotidiano onde o ser humano tem perdido a dignidade de cuidar de um lar.

Infelizmente as pessoas têm maltratado a si mesmas; seja com insultos ou feridas na carne, o materialismo varia as formas de agressão que têm levado homens e mulheres a buscar a lei Maria da Penha, uma porta que encontraram para tentar mudar o rumo da violência.

Essa não seria, no fundo, o objetivo, pois quando conversamos vemos o sentimento ferido; raiva e amor misturados e confundindo ainda mais alguém perdido e sem direção.

É aí que atua o Projeto Raabe, passando uma palavra de vida, emprestado os ouvidos e tentando amenizar a dor insuportável; é nas necessidades uma orientação e a credibilidade dá margem a uma esperança de fé.

Quando buscamos saber quando tempo elas estão sofrendo com a situação muitas afirmam que isso ocorre há mais de 10 anos e a gota d’agua as fizeram buscar ajuda na delegacia da Mulher.

Pacientemente elas levam horas esperando; o atendimento da 7ª Delegacia é considerável, mas até ouvi-las atentamente e encaminhar cada caso gera, às vezes, a impaciência de algumas. E ali está o Projeto Raabe, incentivando para que não desistam.

Nessa segunda-feira, dia 02 de Junho, o grupo Ester acompanhou Carlinda onde participaram juntos deixando um convite para a próxima reunião no Brás, quinta dia 14 de Junho. Dentro da sala de espera estava o quadro do projeto passando, assim, credibilidade ao atendimento.

 As funcionárias se alegram com a nossa chegada e em alguns intervalos sempre se aproximam para conversar. Teresa é muito simpática e amorosa tanto com o grupo Raabe, quanto na sala de recepção. Ela não entende porque saímos de tão longe para estar ali, mas vê o cuidado, o respeito e o quanto abraçamos a causa.

A 7ª Delegacia fica em Itaquera e hoje o Projeto Raabe é um referencial de dinamismo, pois está ao lado de mulheres que lutam contra a violência doméstica, acreditando que tudo irá mudar.